the like button " />

Dieta Ortomolecular

 A dieta ortomolecular foi desenvolvida a partir dos princípios da medicina ortomolecular. O tratamento possui três pontos principais: atividade física, alimentação saudável (com suplementação, se preciso), mudança comportamental e emoções. Se o indivíduo já consome uma alimentação balanceada, não é necessário fazer a suplementação com vitaminas e minerais. O consumo de alimentos funcionais é incentivado nessa dieta. A suplementação de vitaminas e minerais deve ser feita com cautela, pois já são bem conhecidas as interações entre os mesmos, seja aumentando ou diminuindo a eficácia de cada um.

A suplementação pode ser oferecida em pó, comprimidos ou injeções. A escolha depende da preferência pessoal. Há quem tome uma média de 30 cápsulas diariamente. O tempo de emagrecimento varia. Os melhores resultados são acompanhados da prática de exercícios, outra recomendação do método. Existes fórmulas que prometem aumentar a saciedade ou diminuir o desejo por alguns alimentos, como por exemplo a garcínia, conhecida por ajudar a reduzir a compulsão por doce.

Veja as mudanças que a dieta ortomolecular promete:

  • Mais disposição;
  • Melhora na função sexual;
  • Cabelos com melhor crescimento;
  • Melhora da memória;
  • Melhora da função cardiovascular;
  • Perda de peso;
  • Melhora o aspecto da pele.

Atualmente alguns minerais têm se destacado pelos benefícios que eles trazem ao organismo:

  •             Cromo: Participa da digestão de carboidratos e gorduras, além de estimular o organismo aumentar a produção de serotonina, o que ajuda a diminuir o desejo por doces e outros carboidratos.
  •             Magnésio: Também atua no metabolismo dos carboidratos. Participa na formação da seronotina a partir do triptofano.
  •             Selênio: O selênio é um antioxidante. É um dos componentes de uma enzima chamada glutationa peroxidase, que age contra os radicais livres.
  •             Vanádio: Participa da digestão de gorduras, na absorção do cálcio e no metabolismo da insulina. Na sua falta, pode ocorrer desequilíbrio nos níveis de açúcar do sangue, aumentando os depósitos de gordura e a produção de insulina.
  •             Zinco: É um antioxidante. Exerce papel fundamental na maturação das células de defesa do organismo. Regula a ação da insulina, evitando o depósito de gordura na região do abdômen. É também um dos componentes de uma proteína chamada gustina, relacionada à percepção do sabor e participa da biossíntese de proteínas e ácidos nucléicos.
  •           Potássio: atua no equilíbrio hidro-eletrolítico do organismo, além de contribuir para o controle da pressão arterial.

A administração de vitaminas e sais minerais pode ser um valioso instrumento terapêutico, mas necessita de orientação médica porque envolve riscos.

Eis alguns exemplos:

  • Ingerir vitamina E todos os dias, por um longo período de tempo, pode inibir as defesas orgânicas encarregadas de eliminar radicais livres. Outro detalhe: a vitamina E deve ser ingerida sob a forma de Alfa-Tocoferol (com “ol” no final). Se estiver sob a forma de Alfa-Tocoferil (com “il” no final), só se deve fazer uso dela com orientação médica, porque é prejudicial à saúde.
  • O Beta-Caroteno, um precursor da vitamina A, não tem contra-indicações mesmo se ingerido em doses relativamente altas. A vitamina A, por outro lado, se tomada durante muito de tempo, pode provocar intoxicação. Infelizmente, alguns polivitamínicos “milagrosos” misturam Beta-Caroteno e vitamina A em doses que podem causar intoxicação em médio e longo prazo
  • A ingestão de ferro só se justifica se a pessoa tiver certos tipos de anemia, o que só pode ser verificado por exame clínico e laboratorial. O ferro é um potente oxidante, facilitando a formação de radicais livres. Exatamente o inverso do que se deseja com a abordagem ortomolecular
  • Embora o complexo B não envolva grandes complicações, vitamina B12 em excesso aumenta o apetite e engorda. Quem sofre de gota e/ou cálculo renal não deve exagerar na ingestão de vitamina C, mesmo que ela pareça ser realmente benéfica para aumentar a resistência do organismo. A vitamina C também pode alterar o resultado de alguns exames de laboratório, eventualmente comprometendo o diagnóstico médico.

(saiba mais)

MEDICINA ORTOMOLECULAR ;   As vitaminas

 

Algumas dicas interessantes

Site Mulher de Classe

 

1. DIFICULDADE DE PERDER PESO: Falta de ácidos graxos essenciais e vitamina A, que se obtém na semente de linhaça, cenoura e salmão - além de suplementos específicos
2. RETENÇÃO DE LÍQUIDOS : Falta na verdade de desequilíbrio entre o potássio, fósforo e sódio, que se obtém na água de coco, azeitona, pêssego, ameixa, figo, amêndoa, nozes, acelga, coentro, além de suplementos específicos
3. COMPULSÃO A DOCES : Falta de cromo,  que se obtém  em cereais integrais, nozes, centeio, banana,espinafre, cenoura, além de suplementos específicos.
4. CÂIMBRA, DOR DE CABEÇA : Falta de potássio e magnésio.que encontramos na banana, cevada, milho, manga, pêssego, acerola, laranja, além de suplementos específicos.
5. DESCONFORTO INTESTINAL, GASES, INCHAÇO ABDOMINA : Falta de lactobacilos vivos, encontrados na coalhada, iogurte,missô, yakult e similares, além de suplementos  específicos.
6. MEMÓRIA RUIM : Falta de acetilcolina, inositol, que se obtém na lecitina de soja, gema de ovo e mais suplementos específicos.

7.HIPOTIREOIDISMO. (GANHO DE PESO SEM CAUSA APARENTE) : Falta de iodo contido nas algas marinhas, cenoura, óleo, pêra, abacaxi, peixes de água salgada, e sal marinho.
8. CABELOS QUEBRADIÇOS E UNHAS FRACAS : Falta de colágeno contido nos peixes, ovos, carnes magras, gelatina + suplementos específicos.

 9. FRAQUEZA, INDISPOSIÇÃO, MAL ESTAR : Falta de vitaminas A, C, E e ferro.  Que se obtém em verduras, frutas, carnes magras e suplementos  específicos.

 10. COLESTEROL E TRIGLICERÍDEOS  ALTOS : Falta de Ômega 3 e 6 obtido nas sardinha, salmão, abacate, azeite de oliva mais suplementos específicos

 

 

 

Use QR-Code to get this permaking using your Smartphone. QR Code for Dieta Ortomolecular

Deixe o seu comentário