the like button " />

Dieta do Mediterrâneo

 

 

Dieta do Mediterrâneo, ou Dieta Mediterrânea, é um tipo de alimentação característica de alguns países da região do mar Mediterrâneo (Itália, Grécia, Portugal, Espanha, França e outros). A descrição deste padrão alimentar, assim como a criação do termo “Dieta do Mediterrâneo”, foram do Doutor Ancel Keys na década de 50. As observações do Dr. Keys iniciaram no ano de 1945, quando ele desembarcou em Salerno, na Itália, com o exército americano. Ele constatou que os povos que viviam nas regiões mediterrâneas, embora consumissem uma alta quantidade de gordura, similar em calorias à dieta dos países ocidentais, apresentavam uma incidência muito baixa de doenças cardiovasculares.

A gordura ingerida, apesar da alta quantidade, era a do tipo mono e poli-insaturada, de origem vegetal, ao contrário da gordura saturada de origem animal, típica das dietas ocidentais. Ou seja, a quantidade calórica de gordura ingerida é semelhante nos dois padrões alimentares, porém, o tipo de gordura é diferente. A partir daí começou-se a estudar, com mais profundidade, o efeito dos diferentes tipos de gordura sobre o organismo.

A dieta é composta, basicamente, de vegetais, legumes, tomate, alho, frutas (maçã) e, principalmente, azeite de oliva, canola, cereais pouco moídos, nozes (pecan) e sementes, queijo branco e iogurte, além de vinho. O consumo de carne vermelha é esporádico ou ausente e o uso de manteiga ou margarina não está presente nos hábitos alimentares (veja na nossa página RECEITAS SAUDÁVEIS alguns pratos simples e saborosos pra você fazer em casa).

Nessas regiões, a expectativa de vida está entre uma das maiores do mundo e a incidência de doenças do coração e câncer é uma das mais baixas.Esse perfil alimentar aliado à atividade física regular que esse povo tem, resultam em baixas ocorrências de obesidade, níveis saudáveis de colesterol “ruim” e baixas prevalências de doenças do coração, derrames cerebrais e câncer. Outro aspecto orgânico é que as pessoas que adotam a Dieta do Mediterrâneo, aparentemente, têm menos propensão a atingirem sobrepeso ou tornarem-se obesas.

Mas, não é só sobre o risco de doença cardíaca e obesidade que a Dieta do Mediterrâneo traz benefícios. Povos da região mediterrânea vivem mais tempo e têm menor índice de vários tipos de cânceres. A explicação para estes efeitos não está somente na alta ingestão de gorduras insaturadas. Aqui entram os outros elementos : licopeno, bioflavonóides em geral, resveratrol, polifenóis, L-arginina, ácido fólico, beta caroteno, vitaminas C, E e do complexo B, na sua forma natural. Esses componentes estão presentes nos legumes, frutas, cereais, hortaliças, vinho tinto, óleo de oliva, etc., ingeridos em grande quantidade e regularmente.

Os Fatores de Proteção

  O consumo de vinho tinto e Dieta do Mediterrâneo, estão intimamente associados. O vinho tinto, sozinho, não é o responsável pela baixa incidência de doença cardíaca. Vários estudos recentes demonstram que outras bebidas contendo álcool produzem o mesmo benefício cardiovascular, se ingeridas com moderação. Mas o vinho tinto apresenta uma singularidade sobre outras bebidas alcoólicas. Ao ser fermentado com a casca (o que não ocorre com o vinho branco, por exemplo), é incorporado à bebida um dos componentes da casca que serve de proteção natural à fruta. É o resveratrol. Esta substância é um polifenol que atua como antioxidante. Experimentos têm demonstrado que o resveratrol aumenta o tempo de vida de várias espécies animais. Outros tantos estudos estão em andamento, e alguns novos resultados dão indícios de que o resveratrol combateria alguns tipos de vírus, assim como inibiria o desenvolvimento de fibrose cardíaca.

Os mecanismos pelos quais a Dieta do Mediterrâneo protege o organismo são multifatoriais, alguns deles já conhecidos. Além da ação sobre genes que controlam funções celulares, as substâncias contidas na Dieta do Mediterrâneo têm seus efeitos de proteção de doenças cardíacas e crônico-degenerativas devido às suas ações sobre os vasos sangüíneos. A camada que reveste a parte interna dos vasos sangüíneos, chamada endotélio, é formada por um conjunto de células especializadas chamadas de células endoteliais. Estas células funcionam como se fossem um órgão ativo, independente, produzindo uma série de substâncias que regulam o funcionamento dos vasos sangüíneos como um todo. Entre os protetores do endotélio, está bem demonstrado que nutrientes como ômega-3 e ômega-6, anti-oxidantes (vitaminas C,D,E), gorduras mono-insaturadas, L-arginina (vaso dilatador), ácido fólico, e tantos outros, presentes na Dieta do Mediterrâneo, atuam melhorando a função endotelial, direta ou indiretamente.

 

Use QR-Code to get this permaking using your Smartphone. QR Code for Dieta do Mediterrâneo

Deixe o seu comentário