the like button " />

Dieta de proteínas

A dieta de proteínas foi criada pelo cardiologista Robert Atkins. Sua principal meta é restringir severamente a ingestão do carboidrato em todas as refeições e priorizar o consumo de proteínas. A idéia de Atkins foi baixar a produção de insulina, hormônio produzido pelo pâncreas, que tem poder anabolizante, isto é, entre outras coisas, dá fome. Como baixar a insulina? Cortando carboidratos (pão, massas, batata, frutas, vegetais) da dieta, pois é esse nutriente que estimula a produção do hormônio. O médico montou então um cardápio em que mais da metade das calorias (57%) vem da gordura de carnes, ovos, óleos, laticínios, margarina e maionese. Menos carboidrato, menos insulina, menos fome, mais fácil emagrecer. E tem mais: esse corte radical leva à queima mais intensa de gorduras, já que uma das tarefas da insulina no corpo é economizar gordura para manter em alta as reservas de energia. Surpreendido pela falta de massas, pães, doces — alimentos de onde tira seu combustível básico, a glicose —, o metabolismo tem de buscar outra fonte de energia que seria a gordura. Parte dela é absorvida, parte é queimada e parte simplesmente eliminado. Resultado: emagrecimento recorde.

Para fazer a dieta de proteínas do Dr. Atkins  é muito fácil e a receita é simples, nada de açúcar, nada mesmo, beber muito liquido, nunca consumir produtos light, somente os diet são permitidos e o limite de consumo de carboidratos por dia é de apenas 20 gramas.Tirar todos os carboidratos não pode, mas desprezar alguns, como doces, arroz branco e farinhas refinadas, faz bem. Esse tipo de carboidrato cria um ciclo vicioso. Como se transformam instantaneamente em açúcar circulante, fazem subir a taxa de insulina rapidamente, acionando o gatilho da fome. Privado da glicose (açúcar) dos carboidratos, o organismo vai buscar em outros nutrientes a energia de que precisa e ataca músculos e gordura para sobreviver. O principal prejuízo desse mecanismo é que se perde massa muscular — isso causa flacidez e torna a manutenção do peso muito mais difícil, pois a musculatura estimula a queima de calorias.

Os opositores alegam ainda que muito do que se perde com esse cardápio hiperprotéico é água, e água a gente recupera fácil. Entenda: cortar os carboidratos ajuda a desinchar, ainda por conta de insulina, responsável pela retenção de sódio e líquido, ou seja, pelo inchaço. Além disso, por ingerir muita proteína, junto com a água lá se vão na urina sais minerais, como cálcio e potássio. Daí vem o risco de cãibras, pela carência desses minerais, e enfraquecimento dos ossos, por carência de cálcio.

O cardápio de Atkins é pobre em vitaminas, minerais e fibras porque faltam frutas e verduras. A médio e longo prazo, o organismo pode ficar desnutrido e mais vulnerável a doenças. O perigo para as artérias persiste, já que mais da metade das calorias de uma refeição típica da dieta é gordura saturada (de origem animal), que se transforma em colesterol e entope as artérias. E mais: comer proteínas demais pode sobrecarregar os rins.

Não troque as refeições de um dia para o outro. Beba pelo menos2 litros(dez copos) de água por dia. O emagrecimento depende daquilo tudo que você já sabe: idade, altura, quantos quilos quer perder, atividade física etc. Em média, queimam-se 4 quilos em três semanas. A grande vantagem: você pode e consegue manter a dieta por mais tempo, até atingir sua meta. Na manutenção, valem adaptações: trocar um dos lanches por 1 barra de cereais ou 1 fatia de pão integral com requeijão light, incluir 2 colheres (sopa) de arroz integral e 6 de feijão ou 1 xícara de macarrão ao sugo no almoço. Dê preferência a carboidratos complexos, como macarrão, arrozintegral, cereais, grãos, pães integrais e frutas.

Você pode também substituir as proteínas animais com uma suplementação de proteínas retiradas do leite (whey protein), do ovo (albumina) ou da soja. Isto vai ajudar na manutenção da dieta sem aumentar a carga de gordura animal no sangue. E os multivitamínicos irão suprir esta perda de sais minerais e vitaminas que são eliminadas na urina.

 

Contraindicações

 A dieta de proteínas não é recomendada para pessoas que praticam exercícios regularmente. Isso porque o nosso corpo utiliza os carboidratos não só como combustível para essas atividades, como também para ajudar os nossos músculos a se recuperarem do desgaste causado pelos exercícios. Por isso a dieta da proteína é geralmente recomendada a pessoas que não praticam nenhum tipo de atividade física.

Pode causar problemas de concentração, já que o cérebro não funciona sem glicose, e ainda libera gorduras saturadas, que em longo prazo aumentam o colesterol. Além disso, a falta de carboidratos pode provocar tontura, sono, alteração de humor, tremores e propensão a desmaios. E não é só. A baixa ingestão de fibras leva à prisão de ventre e outras doenças intestinais. Esse cardápio não é indicado para gestantes e pessoas com problemas renais, já que na primeira fase a dieta significa um esforço a mais para os rins, que eliminam corpos cetônicos pela urina. Também não deve seguir esse cardápio quem tem ácido úrico elevado.

 

COMO FUNCIONA

É recomendado retirar das refeições todos os alimentos ricos em carboidratos. No café da manhã fica liberado abusar (sim, a dieta não tem limitações de porções) de queijos, presuntos e ovos. Uma xícara de café com leite também é permitida ou ainda uma xícara de chá. As frutas ficam mais restritas.

No almoço e no jantar saem de cena, arroz, massas, tubérculos, além das leguminosas como ervilha, milho, lentilha e grão-de-bico. Fica liberado carnes, ovos, embutidos, bacon, aves, peixe e verduras.

Na primeira semana, considerada o 1º nível, as fontes de carboidratos ficam bem limitadas, sendo liberadas apenas até 20g – como 1 maçã pequena, 2 bananas prata médias, um pão francês sem miolo, 2 garfadas de macarrão ao alho e óleo ou 3 colheres (sopa) de batata inglesa cozida em cubinhos – o que de cara desencadeia um processo bioquímico em que o fígado converte gordura corporal em ácidos graxos e corpos cetônicos, substâncias que podem ser usadas pelo corpo como fonte de energia quando falta carboidratos (responsáveis por fornecer energia ao organismo). De acordo com Dr. Atkins, esse mecanismo, chamado cetose, é essencial para o emagrecimento.

Nas semanas seguintes, que representam do 2º ao 5º nível, já se permite alguns alimentos, podendo atingir até 40g de carboidratos por dia (para não errar, multiplique por 2 as opções de até 20g, citadas anteriormente). O principal argumento do médico americano é que quando o organismo está em cetose, a fome simplesmente não existe, o que leva a uma perda de peso rápida.

E mais: o organismo sofre adaptações metabólicas, onde passa a usar os corpos cetônicos como fonte de energia, poupando um pouco de glicose para o cérebro, o seu principal dependente. E com alguns dias em cetose o organismo se libera da dependência dos carboidratos e passa a utilizar as gorduras como fonte de energia, o que aumenta a saciedade.

 

Mais informações e dicas sobre a DIETA DA PROTEÍNA clique nos links : 

http://dieta-da-proteina.blogspot.com.br/

 http://boaforma.abril.com.br/dieta/dietas-de-emergencia/dieta-proteinas-488512.shtml?pagina=1

 http://www.bravus.net/cardapio-da-dieta-da-proteina/

 

 Você pode comer sempre
CARNES EM GERAL, POR EXEMPLO:

1. Peixes: linguado, badejo, truta, haddock, atum, bacalhau, salmão,  surubim,  sardinha,  aliche,  arenque,  kani etc.
2. Aves: frango, peru, chester, codorna. Dê preferência às partes brancas da carne das aves.
3. Embutidos: peito de peru, mortadela ou fiambre de chester, presunto de peru, salsicha de frango. Prefira os embutidos de aves, que contêm menos gorduras saturadas.
4. Carnes: rã, coelho, vitela, cordeiro, bovinos e suínos
5. Clara de ovo, óleo de canola, azeite de oliva extravirgem, azeitona.
6. Maionese light, creme de leite ou manteiga.
7. Gelatinas dietéticas.
8. Todas as verduras e legumes.
9. Chá verde, mate, limão, suco de tomate e refrigerantes dietéticos. Lembre-se: nunca use açúcar e sim adoçante.

Só uma vez por dia
1. Leite desnatado ou água-de-coco (1 copo).
2. Torrada de glúten ou pão dietético (duas fatias ou unidades).
3. Pudim, doce ou geléia dietética (2 colheres de sopa).
4. Sorvete dietético (1 copo ou 1 picolé de fruta).
5. Frutas (1 vez por dia): 1/2 abacate pequeno, 2 cajus, 2 goiabas, 1 fatia pequena de melancia, 1/2 fatia de melão, 1 xícara de morangos, 2 figos, 2 pêssegos, 1 fatia de mamão, 1 laranja, 1/2 pêra, 1/2 maçã, 2 fatias finas de abacaxi, 2 tangerinas ou 2 kiwis.

6. Iorgute desnatado, queijos brancos (1 porção).

OBSERVAÇÃO : 

Existem várias receitas e fórmulas desenvolvidas para quem quer seguir a Dieta da Proteína. Algumas entram em contradição nas indicações e contraindicações de alimentos – como o leite, por exemplo -. Por isso recomendamos a quem quer seguir esta dieta que consulte um nutricionista e siga suas recomendações.

 

Use QR-Code to get this permaking using your Smartphone. QR Code for Dieta de proteínas

Deixe o seu comentário